FANDOM


Tarzan-Disney
Tarzan é um filme de animação de longa-metragem, considerado um clássico, produzido pelos estúdios Disney em 1999. É uma adaptação de obra de Edgar Rice BurroughsUm casal se perde em uma selva africana depois de um acidente de navio. Eles morrem atacados por um jaguar, mas seu único filho sobrevive. O pequeno bebê é adotado por uma família de gorilas, e cresce acreditando ser um deles. Quando torna-se adulto, Tarzan precisa decidir a qual mundo quer pertencerthumb|300px|rightO filme foi um dos mais caros longas de animação já produzidos, chegando a entrar para o Guinness World Records Book, com o custo de produção estimado em 150 milhões de dólares.

Esta foi a segunda vez que a atriz Glenn Close dublou a voz de algum personagem da história de Tarzan; a primeira vez fora em Greystoke - A lenda de Tarzan, o rei da selva, em que dublou a personagem Jane Porter. As canções do filme foram compostas pelo músico Phil Collins e foram um grande sucesso em todas as partes do mundo. No Brasil as canções foram interpretadas pelo cantor Ed Motta e em Portugal pelo cantor Luís Represas, com uma pequena participação da cantora Rita Guerra na música You'll Be In My Heart (No Meu Coração) para cantar a parte inicial da Kala, no início da música. Entre as principais inovações tecnológicas, destaca-se a técnica de animação batizada de Deep Canvas, criada especialmente para o filme e, posteriormente, utilizada em outros filmes de animação mais recentes como Fantasia 2000 e O Planeta do Tesouro. Deep Canvas ou tela profunda, cria um efeito tridimensional às pinturas e panos de fundo. Tarzan arrecadou 200 milhões de dólares somente nos Estados Unidos e mais de 220 milhões de dólares nas bilheterias dos cinemas de todo o planeta. Tarzan também fez uma aparição no jogo Kingdom Hearts da Disney. No jogo, ele, Sora, Pateta e Pato Donald confrontam Clayton e os heartless. Alguns fatos tiveram que ser alterados em relação à obra de Edgar Rice Burroughs. Destaca-se entre estas alterações o fato de que no original o pai de Tarzan era assassinado por um gorila (por Kerchak, mais precisamente). Isto foi mudado, em reconhecimento ao fato científico de que gorilas nunca são violentos. Assim, o pai de Tarzan foi morto por um leopardo. Graças à liberdade dada pela animação, este foi o primeiro filme a apresentar o personagem do mesmo modo que Burroughs o havia escrito: um homem que utiliza os movimentos de gorilas, leopardos, serpentes e diversos outros animais. Você mataria um ator que tentasse fazer as coisas que nosso Tarzan animado faz? pergunta o supervisor de animação Glen Keane. Esse é um personagem que só poderia ser realizado do modo que Burroughs o imaginou, em animação. Ainda sobre as vantagens da liberdade da animação, é o primeiro filme a representar de modo realista a relação de Tarzan e sua família de macacos. Neste filme, Clayton é o vilão da história, um homem que pretende capturar a família de gorilas de Tarzan para vendê-los para o zoológico (apesar de não se saber ao certo para o lugar onde os gorilas seriam vendidos). Mas, no livro original de Edgar Rice Burroughs, Clayton era o nome verdadeiro de Tarzan, dado por seus pais humanos. A cena em que Tarzan e Terk, logo após virarem adultos, brigarem de luta nos tempos de criança e Tantor vê, temendo que algo acontecesse aos dois, foi na verdade uma dublagem improvisada por Rosie O'Donnell e Wayne Knight, intérpretes de Terk e Tantor. A morte de Clayton inicialmente seria numa explosão do barco em que traficaria os gorilas após ser preso à um barril de pólvora gigante A morte de Clayton inicialmente seria numa explosão do barco em que traficaria os gorilas após ser preso à um barril de pólvora gigante prester à explodir. Mas os diretores consideraram um fim pouco adequado para o vilão, que, para eles, era mais por estar na selva. Sendo assim, Clayton morreu enforcado pelo cipó que ele mesmo, por acidente, pendurou no pescoço. Na cena em que Tarzan cai de uma árvore após o enforcamento de Clayton, um relâmpago faz uma rápida passagem de luz, fazendo com que a árvore transmita a sombra o corpo de Clayton enforcado. O personagem Clayton foi inspirado nos exploradores aventureiros filmes de captura de animais da década de 1930. Porém, na época, vender animais para o zoológico não era ilegal, portanto, a mensagem transmitida pelo filme é nítida da legislação recente. As cores utilizadas para o vilão leopardo Sabor têm a mesma textura que as cores utilizadas para o Clayton, o vilão humano. O filme teria três spin-offs: a série televisiva A Lenda de Tarzan, o longa-metragem Tarzan e Jane, que retraz alguns episódios de A Lenda de Tarzan e uma continuação direta em home video, Tarzan 2. Últime filme da Disney em sua Era Renascentista, que se iniciara desde o lançamento de A Pequena Sereia, em 1989. Na cena em que Tarzan, Arquimedes e Jane Porter estão embarcando no navio que levaria-os para a Inglaterra, Jane diz que o mundo irá querer conhecer o Tarzan e, assim, Arquimedes diz alguns exemplos: "Darwin, Kipling! A Rainha Vitória!". Darwin é Charles Darwin que acreditava que o homem veio do macaco e Kipling foi o autor de Mogli.